Minha Fantasia – Ivone Boechat

Estou fantasiada
de mim mesmo,
eu mereço,
escolhi o brilho, a serpentina
e o perfume proibido
das palavras sacrificadas
pela ditadura do silêncio;
nos braços, como adereço,
pendurei o protesto dos abraços
que nunca foram dados a esmo,
porque a vida censurou!
Na cabeça, fixei o esplendor
dos pensamentos
que valeram a pena arquivar,
os outros,
aqueles que me fizeram sofrer
todo tipo de mal,
foram sapateados pelo bloco
do meu eu vencedor
no último carnaval.
(Imagem: Internet)

Um passeio pela poesia de Rosa Firmo

Cores e sabores
Na infância alinhavei os bordados da esperança
na inquietação, pontos de cruz, fios amarelados.
O destino desenhou dias recheados de cores,
em silêncio rendilhei os bilros emaranhados.
Na tela desenhei meu destino com sobriedade
costurei as dores da vida, com cores e sabores.

Folguedos

Entardecer de julho, o por do sol
desce rápido, leva a alegria das horas
de quem colhe flores e
espera estrelas luminosas.
Os raios que se dissipam
arrastam cores em abundância,
traz a lua que ilumina a calçada
dos folguedos da minha infância.


Aurora

Tenho resto de cores
do rosicler do alvorecer,
o milharal no vale verdejante
bordam minhas lembranças,

Velhice – Lulm

Hoje já não sou mais moça
Minha pele já não tem o viço de outrora
No rosto carrego algumas rugas
Como breves caminhos do tempo... Levando experiências...
As mãos tremulam mais sempre solidarias
Sou uma mulher madura...
Quero colher na velhice... Frutos que plantei na juventude.
Olho ao meu redor e vejo o que me restou
O que da vida consegui até aqui trazer...
Plantei arvores? Sim plantei
Tive filhos? Sim eu os tenho
Escrevi um livro? Sim eu ainda escrevo
A vida passou como um vento... Rapidinho
Deixou-me marcas com o tempo
Vivi profundamente... Aprendi acertar com os próprios erros... Amar
Muitas vezes até renunciar...
Hoje quero o azul do céu pra me acalentar
Quero o som do mar pra adormecer...
Quero

Amanhã – Ediloy Antonio Carlos Ferraro







Amanhã...









Será um outro tempo, velho/novo
Folhinha descartada do calendário
Ilusões e esperanças renovadas


Importa é crermos nesta fantasia
E dela fazermos nossa força
a nos blindar da inércia e tristeza

Cultivemos a utopia como a uma flor
Desde que nos remoce,
Nos devolva os ânimos, crianças

Mesmo que tudo sejam quimeras
Delas façamos as nossas alegrias
Removendo o ranço que nos impregna

Quando nada existir que nos anime
Diante ao vagaroso passar da vida
Sejamos alados,além das monotonias...









Não esqueçamos – Ediloy Antonio Carlos Ferraro















Não nos esqueçamos...









De nós,
da voz.
dos sonhos
da magia
e da fantasia


dos ideais
e das certezas
ainda que incertas
e controversas

da criança
do sorriso
da lágrima
e da emoção

Não nos apartemos de nós...